WE DESIGNIMAGINATION

Guia básico de procrastinação

Descubra que tipo de procrastinador é você e o que fazer para evitar deixar para depois algo que você pode fazer agora

A palavra é procrastinação. Do verbo procrastinar, deixar para depois, adiar, postergar. E a pergunta é: quem nunca deixou para depois algo que poderia ser feito logo?

Segundo Angela Liao, do site Twenty Pixels, “a procrastinação é o prelúdio da produtividade”. É dela Guia de Campo para Procrastinadores, os quadrinhos abaixo onde ela apresenta 12 tipos comuns de procrastinação – ou pelo menos os tipos que ela já praticou: limpar e arrumar tudo antes de começar a fazer o que realmente interessa, entrar em pânico, fazer listas, dormir, fazer alguma outra coisa no lugar, navegar por redes sociais, pesquisar na internet, fazer uma boquinha, jogar, assistir televisão, delegar tarefas ou simplesmente deixar para começar algo no dia seguinte, já que agora está mesmo tarde…

procrastination

A questão toda é que procrastinar pode até ser divertido de vez em quando, mas dependendo da situação em que você se encontra, também pode ser bastante prejudicial. Para alguns, envolve o medo de falhar, aquela velha crença de que algumas pessoas trabalham melhor sob pressão, desorganização, depressão e até mesmo o perfeccionismo exagerado.

Daí que a gente resolveu buscar algumas dicas úteis para quem sofre com o hábito de deixar tudo para depois. A começar por algumas extensões para o Chrome que podem ajudar você a focar no seu trabalho, especialmente se você é do tipo que passa muito tempo em redes sociais ou “pesquisando” na internet, como é o caso do Strict Workflow. Basicamente, ele bloqueia o navegador durante um tempo pré-determinado, mas é possível liberar o acesso a alguns sites.

Já o Self Control é um aplicativo para Mac em que o usuário decide o que vai bloquear – o que inclui desde emails a sites – e o período em que os itens selecionados ficarão inacessíveis. O aplicativo é tão eficiente que não adianta você tentar trapacear reiniciando o computador o apagando o aplicativo, ele só vai liberar os itens bloqueados ao final do tempo programado.

Agora, se você prefere tentar algo sozinho, antes de optar por estas ferramentas mais “radicais”, os especialistas em produtividade costumam ter algumas regrinhas básicas na manga.

Fazer uma lista detalhada das tarefas do dia é importante, mas é preciso ficar atento para não se tornar mais uma forma de procrastinar, como mostram os quadrinhos acima. Respeitar seu próprio ritmo de trabalho é importante, mas é bom estabelecer prazos para concluir determinadas tarefas. Manter uma espécie de diário para determinar quanto tempo você leva para concluir cada atividade é uma forma interessante de se conhecer melhor.

Mudar de ambiente e se livrar da internet – pelo menos a partir do momento em que ela se tornou uma distração – pode ajudar, assim como tentar descobrir quais são as tarefas que você menos gosta de fazer e porquê. E, se elas são inevitáveis, comece por elas e fique livre o quanto antes, já que adiá-las não é uma forma de evitar o inevitável.


0

0

COMENTÁRIOS

A GUM BOY (Masaki OKUDA)

8 de dezembro de 2015

CANETTE CELESTE – LE FILM

4 de dezembro de 2015

Loteria TVC

3 de dezembro de 2015

Whoosh

2 de dezembro de 2015

Lost Property

1 de dezembro de 2015

#Einstein100 – General Relativity

30 de novembro de 2015

Our Fractal Brains

16 de novembro de 2015

Escargore

13 de novembro de 2015

Body of Songs: Appendix

12 de novembro de 2015